14/05/12

E porque mãe é mãe...

... ontem mesmo dei uma mãozinha para arrematar o primeiro trabalho de crochê da minha filha: um capuz de monge. E o fiz com o maior prazer. Fiquei feliz dela querer fazer um trabalho manual, de correr o risco, de errar e desmanchar, de ter percorrido o início, meio e fim de um projeto.

Pode ser usado como cachecol de duas voltas e também virar capuz + cachecol. Muito útil nesse nosso cantinho frio do Universo.

O ponto não poderia ser mais simples mas é assim que se começa. Por puro acaso acertamos nas medidas e na vira, para dar o jeitinho da dobra. Tem 1,80m x 0,40m.


Com a mão na massa, arrematei também um paninho começado algum tempo atrás, com passo a passo aqui no blog.   

O passo a passo foi feito com a intenção de desmistificar a dificuldade de compormos as emendas. Para tudo há vários jeitos complicados e trabalhosos de fazer e um que facilita tudo. Prefiro o último.



Aprendo a cada novo trabalho e principalmente ao ver a foto. Espero dispor melhor os tons fortes e suaves da próxima vez. Pessoalmente ele é mais simpático! rsrs

Que esta seja uma boa semana para todos nós!



2 comentários:

  1. Sua filha deve ter se inspirado na mãe mesmo.
    Achei bem bonito esse seu novo trabalho e com cores que combinam entre si.
    Tenha uma ótima semana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá Beatriz,
    Que bom que sua filha gosta da arte do crochê!!!! Já a minha nem chega perto! Fazer o que, não é mesmo? Seu trabalho ficou belíssimo! Parabéns!
    Uma linda semana para vc.
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir