26/05/12




Li algum dia uma frase sobre a qual sempre hesitei postar por não conhecer a autoria. Hoje eu vi algo semelhante, no Pinterest, atribuído a Henry van Dyke, e reproduzo a imagem ao final do post.

A frase exata, tenha ela sido primeiramente dita por van Dyke ou não, já não lembro. Mais ou menos isso:

"A floresta seria um espaço silencioso se apenas os pássaros que melhor cantam se autorizassem a fazê-lo. Lance o seu canto, do jeito que você sabe e preencha o silêncio com vida."

Se você deixa de fazer alguma coisa só porque o seu dom não está à altura do de outros, este pensamento lhe cai como um luva.

A essa altura vale lembrar o que diz Malcolm Gladwell em seu livro Fora de Série (Outliers, no original). Segundo o autor, são necessárias 10 mil horas de prática em alguma atividade para formar um(a) bambambam. Isso poderá acontecer por determinação individual ou por força das circunstâncias.  

Ele cita os Beatles, que precisaram tocar todas as noite, horas a fio, sem parar, praticamente de graça em uma bar de quinta categoria em Liverpool e a fixação de Bill Gates, que adormecia exausto sobre o teclado dos computadores onde plantou seu enorme sucesso profissional.

Mas este nem é o ponto, exatamente. O que mais me agrada na frase citada é pensar que mesmo não sendo a melhor confeiteira do mundo, posso e devo fazer bolos. E depois comer, é claro! Oferecer também, sem esperar aplausos.  Se eu quiser me tornar uma excepcional confeiteira, precisarei de 10 mil horas (3 horas por dia ou 20 por semana durante 10 anos). Mas também posso ficar na minha, fazendo meus bolinhos de vez em quando, sem maiores ambições.  Assim será.

O importante é fazer. Tentar. Arriscar, porque o máximo que pode acontecer é não dar certo nas primeiras tentativas... e ir em frente, sem dar importância a julgamentos, principalmente ao juiz ou juíza implácavel que mora dentro de cada um de nós.  

Aqui está a foto do Pinterest:



Que sirva de inspiração a todos que visitarem a Casinha de Chocolate por esses dias, torcendo para que cantem muuuuito... do jeito que der e sempre que possível.





19/05/12

Gengibre - só para lembrar



Nessa época do ano, em que o frio nos torna mais sensíveis a dores, vale a pena nos lembrarmos de incluir o gengibre nas compras do dia a dia. Fiz isso hoje e resolvi compartilhar o lembrete.

O gengibre combate inflamações, tem efeito analgésico e nenhum efeito nocivo ao nosso organismo, além de apresentar muitas outras propriedades interessantes.

Colo aqui parte de um texto que recebi por e-mail e do qual ignoro a autoria.

Vale a pena anotar:

... " Durante séculos o gengibre tem sido usado em toda a Ásia para tratar dores nas articulações, resfriados e até mesmo indigestão.

O gengibre cru ou cozido pode ser um analgésico eficaz, mesmo para


condições inflamatórias como a osteoartrite.


Isso porque a inflamação é a causa raiz de todos os tipos de problemas


como artrite, dor nas costas, dores musculares, etc.


Ele contém 12 compostos diferentes que combatem a inflamação.


Um desses compostos arrefece os receptores da dor e atua nas terminações nervosas.


Juntos, eles trabalham quase o mesmo que as drogas anti-inflamatórias,


tais como o ibuprofeno e a aspirina, mas sem os efeitos colaterais.


Assim, se a sua intenção é eveitar ter que tomar ou eliminar analgésicos, caso já faça uso deles, passe a consumir gengibre. Isso vai estimular a circulação sanguínea e aliviar dores nas articulações.



Beber chá de gengibre: É barato. É muito fácil. O gosto é ótimo. E cura



Aqui está uma receita usada pelo Dr. Al Sears:


* Quatro copos de água;


* Um pedaço de aproximadamente 5 cm de Gengibre descascado e


cortado em fatias; * Limão e mel a gosto. Se preferir, use laranja


no lugar do limão. Fica ótimo!

Ferva a água numa panela com fogo alto.


Assim que começar a fervura adicione as fatias de gengibre. Deixe em fogo baixo e cubra a panela para que os vapores não saiam. Deixew ferver por  
 aproximadamente 15 minutos.

Basta coar, e adicionar o mel com o limão ou laranja.

O chá está pronto!"

Vale dizer que há que coloque casca de laranja e cravos da índia na infusão. Fica bom mesmo!

Torço para que nenhuma das amigas sofra dores, mas sei que toda mulher gosta de saber dos truques para perder a barriguinha - mesmo quando não a têm! Fica a dica.

Bom fim de semana!


imagem: http://mdemulher.abril.com.br/dieta/reportagem/dietas/gengibre-ajuda-perder-barriga-613222.shtml







14/05/12

Filhos crescem... e como!


Ainda no espírito do Dia das Mães, venho mostrar com indisfarçavel orgulho a minha filha e nosso primo, que tinha 4 aninhos quando a minha menina chegou. Ele me sente mais como tia e a ela como prima pela idade. E eu também, já que tia é um pouco mãe.

Ela tem 1,70m mas subiu num banquinho para ficar na altura do primo, que passa dos 2m.  



Falei em orgulho, que se deve sempre quebrar, mas eu não posso deixar de me sentir feliz e orgulhosa, no bom sentido, das pessoas que ambos são. Gente da melhor qualidade: ternos, doces, delicados e amorosos. Deus, que nos emprestou-os, que os conserve sempre assim.

Além do mais são bonitinhos. Ficam ainda mais bonitinhos juntos! Sou muito coruja, né? Eu sei... sou mesmo... 


E porque mãe é mãe...

... ontem mesmo dei uma mãozinha para arrematar o primeiro trabalho de crochê da minha filha: um capuz de monge. E o fiz com o maior prazer. Fiquei feliz dela querer fazer um trabalho manual, de correr o risco, de errar e desmanchar, de ter percorrido o início, meio e fim de um projeto.

Pode ser usado como cachecol de duas voltas e também virar capuz + cachecol. Muito útil nesse nosso cantinho frio do Universo.

O ponto não poderia ser mais simples mas é assim que se começa. Por puro acaso acertamos nas medidas e na vira, para dar o jeitinho da dobra. Tem 1,80m x 0,40m.


Com a mão na massa, arrematei também um paninho começado algum tempo atrás, com passo a passo aqui no blog.   

O passo a passo foi feito com a intenção de desmistificar a dificuldade de compormos as emendas. Para tudo há vários jeitos complicados e trabalhosos de fazer e um que facilita tudo. Prefiro o último.



Aprendo a cada novo trabalho e principalmente ao ver a foto. Espero dispor melhor os tons fortes e suaves da próxima vez. Pessoalmente ele é mais simpático! rsrs

Que esta seja uma boa semana para todos nós!



12/05/12

Mães



Amanhã será Dia das Mães. Um dia dedicado à lembrar que as mães devem receber carinho, atenção, respeito, gratidão, e tantos outros nobres sentimentos e boas atitudes.

Vamos então nos lembrar da diversidade no exercício do assim chamado instinto maternal, isso valendo para homens e mulheres e para a maioria das espécies animais.

Deixo aqui algumas fotos colhidas no Pinterest, que não deixam dúvidas sobre o afeto entre as partes.


Todos trabalhando para animar
o corpinho frágil da vida que inicia.

Isto é compaixão.


Humanos se apiedam do bebê elefante e o agasalham.

Isto é proteção.


Canguru carregando a cria.
Isto é cuidado.

 Casal aconchega a prole.
Isto é instinto maternal e machos também o têm.

 A vaca acarinha o bezerro.
Isto é piedade.

Ela sabe o destino que os aguarda.

Com que direito você come mães e seus bebês?
Com que direito você lhes rouba o leite?

Beba vinho.

Faça um brinde à vida sem violência
e o perpetue vida afora. 



07/05/12

A casinha amarela


Pintei este quadro muitos anos atrás e nunca o pendurei na parede. Muitos dos meus quadros eu vendi, dei, joguei fora por falta de espaço onde guardá-los, por não achar que valeria a pena mantê-los ou simplesmente por saber que de onde vieram outros viriam.

Este se salvou porque de fato não ocupa espaço, já que foi pintado sobre placa de eucatex e também porque não teve quem o desejasse.

Voltei a me dedicar à pintura. Ao procurar minhas tintas e pincéis me deparei com a casinha amarela. Tirei-a do armário para tomar ares, para me lembrar do sonho de um dia ter coragem de morar numa casinha, manter uma horta e ter uma jaboticabeira no quintal. Gosto de jaboticabas e mais ainda de jaboticabeiras, que são as árvores mais passarinheiras que conheço.

Por enquanto este sonho é virtual, como a  Casinha de Chocolate, onde passo alguns momentos esquecida da vida. Não é o que fazemos dos nossos blogs - um refúgio de idéias, sonhos, desejos e buscas?


Bonitinhos + esquisitinhos

Gosto, definitivamente, não se discute. Portanto, deixo aqui algumas idéias colhidas do Pinterest.













Sugestões para todos os gostos!

Tenham uma boa semana!


03/05/12

Nossa Senhora de Fátima

Tive a ajuda da da Nanda, que conduz o delicioso blog Pinta Roxa,
para fazer a correção da data.



No dia 13 de maio é celebrada a aparição de
Nossa Senhora
em Fátima.



Reze uma Ave Maria e peça o que for.

Milagres existem e eles não são pequenos,
 médios ou grandes.
São apenas milagres.


Virgem Maria é muito milagrosa e atenderá suas preces.

Salve a Santa Virgem Maria!
Protegei, rogai, intercedei por nós que recorremos a Vós!





Todo dia é dia de Lua mas hoje é mais ainda!

Lua faz hoje 13 anos!
Para nós um dia muito especial. 

Este aniversário vai ser muito comemorado. Passamos um susto grande com a operação que ela sofreu meses atrás. Lutamos muito por ela e ela pela vida que conhece - ao nosso lado.


Foto tirada esta manhã.

Me custa até pensar no quanto foi arriscada a cirurgia e sofrida a recuperação. Se pelo nosso lado fizemos todo o possível para ajudá-la, ela também mostrou que não queria desistir de nós.  

Cães sabem tudo de amor, cuidado, guarda e companheirismo. Nós, na nossa falha humanidade, dedicamos a ela o que ela nos ensinou: o amor irrestrito e inquestionavel. Por ela e para ela fazemos de tudo. Ela é o amor de nossas vidas.


Este bolo pode ser lindo mas o dela vai ser de alcatra e tenho toda a certeza de que ela não vai se importar que não compartilhemos.

Feliz aniversário, Lua querida!



02/05/12

Gatos

Nunca tive um gato para chamar de meu no sentido de tê-lo sob meus cuidados, convivendo sob o mesmo teto, mas gosto de pintar gatos e estou preparando uma exposição sobre o tema.

Tenho estado, portanto, mergulhada em gatos, observando, estudando seu caráter, movimentos, expressões e todos os símbolos que encarnam assim como aqueles que os absorvem ou os carregam a reboque. 

Artur da Távola, o sábio e insubstituível escritor, nos legou a crônica abaixo. Hoje a coloco aqui para as amigas que gostam de gatos e principalmente para aquelas que têm dificuldade em entendê-los e a seus mistérios e em aceitá-los amorosamente.



ODE AO GATO
 Artur da Távola




"Bichos polêmicos sem o querer, porque sábios, mas inquietantes, talvez por isso. Nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece. O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência. O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor. Só as saudáveis.

Lembrei, então, de dizer, dos gatos, o que a observação de alguns anos me deu. Quem sabe, talvez, ocorra o milagre de iluminar um coração a eles fechado? Quem sabe, entendendo-os melhor, estabelece-se um grau de compreensão, uma possibilidade de luz e vida onde há ódio e temor? Quem sabe São Francisco de Assis não está por trás do Mago Merlin, soprando-me o artigo?


Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive às custas dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança a valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula. Gato não. Ele só aceita uma relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele dependente, é chamado de arrogante, egoísta, safado, espertalhão ou falso.
"Falso", porque não aceita a nossa falsidade com ele e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser.


O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer.


Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige.


Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês.


Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência. Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento.


O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode (ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós). Se há pessoas agressivas em torno ou carregadas de maus fluidos, ele se afasta. Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe "ler" pensa que "ele não está ali". Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.
O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba perceber.


Monge, sim, refinado, silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado. O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas.

O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção ou explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato!


Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo (quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo.


O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo.

Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio. Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones.


Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências.

O gato é uma chance de interiorização e sabedoria posta pelo mistério à disposição do homem."