30/07/10

15 minutos para brincar

Muito boa a iniciativa de Victoria Findlay em seu 15 minutes play

Aceito o convite... 


 Acredito no jogo ...


Adoro brincar...  

O jogo é antigo, só que alguns se esquecem dele quando se propõem a fazer coisas muito sofisticadas, elaboradíssimas e penam em busca de uma habilidade que tentam conquistar à força.

É preciso ter prazer em fazer artesanato. É para isso que o fazemos!

Como sei que há quem goste de sofrer (e gosto não se discute), compreendo quem se lança a projetos minuciosos, que exigem muito tempo, esforço e paciência para serem completados. O que não suporto é a lenga lenga do quanto de esforço foi demandado. Dispenso! 

Não me permito sofrer deliberadamente por objetivos de valor duvidoso. Por isso escolho a simplicidade, o prazer da surpresa e o acolhimento do que possa parecer erro. Por isso continuo fazendo. Por isso tenho trabalhos prontos. Por isso os uso com prazer e tenho o prazer de oferecê-los de presente. 

17/07/10


A toalha está pronta. O bolo ainda não...
Quem se anima a sair atrás de morangos
 no frio e na chuva?
Não eu! 

Prefiro ficar em casa!
Banho quente, comidinha fumegante,  
bebida forte para esquentar... 
ou só como pretexto para usar o paninho novo
na bandeja antiga!...




Tempo Agora no aeroporto Afonso Pena às 15:00

Chuvas
Chuvas
Temp.

12°C
Sens. Térmica

9°C
Vento

E 12km/h
Pressão

1031 hPa
Umidade

100%
Visibilidade

boa




10/07/10

Morango com chocolate


Estou fazendo uma toalha para combinar com o meu bolo preferido: chocolate com morangos! 
O bolo ainda está para nascer.
A toalha está encaminhada. 

No meio do caminho pensei num fondue de chocolate, morangos para espetar!

Comecei sem um projeto na cabeça, como de costume.
Só sabia que queria uma toalha retangular.



Alguns (muitos) minutos depois estava assim: 


Duas horas,
(talvez três)
 muitos pespontos,
 dois carretéis inteiros de linha depois 
e inúmeros fios para arrematar ...

... a toalha está assim:


Quis fazê-la bem simplinha para não pensar no tempo e trabalho empenhados 
quando pular sobre ela um pedaço bem melado... 

Chocolate é que nem molho de tomate: não pode ver uma toalha clara
 que lá se joga e teima em deixar sua marca para sempre!
Difícil evitar...
...ou será que isso só acontece na minha casa?


08/07/10

Colcha da vovó

Tenho sempre em mente o objetivo de viajar leve pela vida. Mais que uma meta isso é um aprendizado, por vezes penoso mas sempre libertador. Venho me dedicando ao exercício de remexer guardados e desfazer-me deles e tenho conseguido - sem dor, com um enorme prazer.

Quem faz artesanato conhece bem a dificuldade de guardar e manter arrumado o material. No meu caso tecidos, lãs e tintas principalmente, para não falar das máquinas de costura, dos teares e da parafernália de instrumentos de pintura. Cheguei neles mas não consegui me desfazer de muita coisa. Apenas reforcei o propósito de utilizá-los, coloca-los na roda.

Para aproveitar algumas lãs que nunca chegaram ao tear fiz essas bolachas para uma colcha da vovó. Agora é uni-las e deixá-las prontas para encontrarem rumo.


Este post me compromete a terminar logo o trabalho.
 Acho que a colcha vai ficar bem charmosinha e aconchegante.
Quentinha eu sei que fica!